Notícias

Desassoreamento do Canal de Anhembi

17 de Setembro de 2013
image005

Em 2009, trecho da rota da Hidrovia Tietê-Paraná, no reservatório de Barra Bonita, situada entre os kms 72 e 89, apresentou severo assoreamento que limita a passagem de embarcações, principalmente no final do período de estiagem (setembro a fevereiro). Campanha de caracterização dos sedimentos indicou presença de material contaminado (metais pesados), obrigando a confinar o material a ser dragado, em atendimento às exigências ambientais. Caracterização O Canal de Anhembi situa-se no trecho mais a montante da rota de navegação do reservatório de Barra Bonita. Este reservatório, por sua localização (a montante dos demais reservatórios do rio Tietê), tem função de regularizar as vazões defluentes, registrando, portanto, altas variações de nível. Devido a essas duas características, o trecho do Canal de Anhembi em parte do ano está com nível alto (próximo ao nível 451,50 m.s.n.m.), apresentando comportamento próximo ao de um reservatório. Na outra parte do ano, quando o nível do reservatório de Barra Bonita estiver baixo (próximo do 446,50 m.s.n.m.), seu comportamento está mais próximo ao de um rio de corrente livre, sua lâmina d’água está próxima ao limite exigido para a navegação (3,30 m). Nessa situação, o acompanhamento e remoção da deposição de sedimentos é fundamental para a manutenção das condições locais de navegação. Benefícios: O principal benefício dessa obra é permitir a manutenção da navegação comercial no trecho durante os 12 meses do ano, com calado de 3,0 m, atendendo em um primeiro momento o terminal de Anhembi, que movimentou mais de 400 mil t em 2009, e futuramente o terminal da empresa Lógum, com previsão de movimentar até 4 milhões de t de etanol por ano.